Translate

domingo, 25 de setembro de 2016

1976-09-25 - Poder Popular Nº 50 - II Série - MES

EDITORIAL

  1 - Nós perfilhamos, a respeito da democracia burguesa, o pensamento que Marx, Engels e Lenine formularam com todo o rigor e precisão científica. «A República burguesa, mesma a mais democrática, não é mais do que uma máquina para a opressão da classe operária pela burguesia, da massa dos trabalhadores por um punhado de capitalistas».
Este é o princípio revolucionário que norteia a nossa acção política no actual período da luta de classes no nosso país.
A democracia e a liberdade de que falam Soares, Vasco Lourenço ou Ramalho Eanes, assim como o seu Socialismo, não passam de palavras que encobrem a situação de exploração e de opressão em que vive a esmagadora maioria da classe operária e do povo português.
O MES, como organização revolucionária, não transige com os traidores da classe operária e do povo. O nosso Partido, fiel à sua tradição de luta, coloca-se na primeira linha do combate pela conquista do poder político pela classe operária e pelo povo, pela instauração do poder popular e revolucionário. Não esperem os inimigos declarados da Revolução, os traidores do Socialismo e os conciliadores, outra resposta às suas manobras contra-revolucionárias, aos seus compromissos e vacilações, senão a uma permanente vigilância, a uma acção de mobilização e esclarecimento das massas populares, a uma confiança no futuro, ou seja, na vitória definitiva da via socialista sobre a via do capitalismo mesmo que se encubra sob a capa da democracia e das liberdades burguesas.

1976-09-25 - CONCENTRAÇÃO 28 DE SETEMBRO OS RICOS QUE PAGUEM A CRISE! GDUP

CONCENTRAÇÃO 28 DE SETEMBRO
OS RICOS QUE PAGUEM A CRISE!
SPÍNOLA, FASCISTAS PARA A PRISÃO!

OPERÁRIOS,CAMPONESES,POVO TRABALHADOR:
Dois anos se passaram após a malograda tentativa do golpe spínolista de 28 de Setembro de 1974.
O povo saiu à rua, impediu a realização da manifestação da “maioria silenciosa” e impôs o afastamento de Spínola.
As massas populares tinham conseguido uma grande vitória!
Hoje, a direita reaccionária e o grande capital jogam de novo a sua cartada apostando na destruição das conquistas populares. Soares e o seu Governo dão-lhe cobertura e atacam o povo trabalhador pretendendo fazer-lhe pagar a crise provocada pelos capitalistas.
O POVO ESTA REVOLTADOS
Não bastavam o aumento do custo de vida, o congelamento dos magros salários, o desemprego, as leis anti-operárias e anti-populares! A di­reita quer mais, quer o regresso ao 24 de Abril, a noite negra do salazarismo.

1976-09-25 - REUNIÃO SOBRE O NOSSO TRABALHO NOS BAIRROS... MRPP

REUNIÃO SOBRE O NOSSO TRABALHO NOS BAIRROS, VILAS E ALDEIAS DO DISTRITO E AS ELEIÇÕES PARA AS AUTARQUIAS LOCAIS

A I Reunião do Comité do Partido do Distrito de Lisboa apontou a necessidade de mobilizar todos os quadros para a tarefa das eleições para as autarquias locais e com o objectivo de discutir e apresentar a nossa política, a nossa táctica e o nosso plano para essas eleições, assim como fazer um balanço de algumas experiências significativas do nosso trabalho nos bairros, vilas e aldeias, decidiu convocar uma Reunião Alargada aos 181 Secretários das células de freguesia e a todos os camaradas que trabalham nas Comissões de Moradores.
HORA - 15 horas
DIA - sábado, 25 de Setembro
LOCAL - Sede Regional (Bica)

ORDEM DE TRABALHOS:
1a Parte - O nosso trabalho nos bairros, vilas e aldeias. Apresentação de 5 relatórios.
1º Relatório da célula de base da freguesia Moscavide
2º Relatório da célula de base da freg. Paço d'Arcos
3º Relatório da célula de base da freguesia V. F. Xira
4º Relatório da célula de base da freguesia Marvila
5º Relatório da célula de base da freg. Vale Paraíso
2a Parte - Apresentação da política, táctica e plano para as eleições das autarquias locais.

PSEUDÓNIMO_________________           CÉLULA_____________

O COMITÉ DO DISTRITO DE LISBOA

1976-09-25 - Luta Popular Nº 402 - MRPP

NOTA DA COMISSÃO DE IMPRENSA DO COMITÉ CENTRAL DO MRPP

Acerca da publicação, por alguns dos chamados órgãos de comunicação social de comunicados falsos e provocatórios.
Têm os chamados órgãos da comunicação social publicado, insistentemente, desde há alguns dias, um ror de linhas de prosa provocatória ao nosso Partido e em particular ao seu Secretário-Geral, camarada Arnaldo Matos.
Não é coisa que nos espante. Mas a insistência é de tal modo que, tal como pulga em corpo lavado, exige que se cate para acabar incómodo.
Dentro dos Partidos operários, no seu próprio seio há luta. Luta de classes que, aí, assume a forma específica daquilo que nós, marxistas-leninistas-maoístas, chamamos luta entre as duas linhas. Em geral essas linhas têm um cabeça de fila, mas o fundo da questão reside em saber qual delas exprime a política, a táctica e os interesses históricos do proletariado, pois que a outra só pode exprimir os da burguesia. E, assim, de tempos a tempos, nos Partidos autenticamente comunistas é desmascarado, isolado e por vezes, expulso o respectivo chefe de fila da linha de conciliação e pactuação com o inimigo, pois que é uma linha liquidadora do Partido enquanto tal.